Porto Cidadão pretende empoderar Antonina

por Redação | Iris Sant'Anna

14/07/2017

A pacata e bela cidade, com pouco menos de 20 mil habitantes, possui uma arquitetura charmosa e tem sua renda gerada pelo turismo

Imprimir

O projeto tem por objetivo promover melhorias de estruturas destinadas à promoção da saúde, sustentabilidade, educação e bem estar da população da cidade paranaense

Povoada desde 1648 e criada oficialmente no ano de 1857, a cidade de Antonina, localizada no litoral paranaense, a 90km de Curitiba, carrega grande parte da história do Estado do Paraná. A pacata e bela cidade, com pouco menos de 20 mil habitantes, possui uma arquitetura charmosa e tem sua renda gerada pelo turismo e, principalmente, pelo Porto de Antonina, o único do Brasil livre de trasngênicos.

Em respeito a toda essa história e ao povo batalhador da cidade, os Terminais Portuários da Ponta do Félix (TPPF) acabam de lançar o projeto Porto Cidadão, que foi apresentado oficialmente na tarde da última terça-feira, dia 11 de julho. A ação tem por objetivo promover melhorias de estruturas destinadas à promoção da saúde, esporte, sustentabilidade, educação e bem estar da população da cidade paranaense. Na primeira etapa do Porto Cidadão, serão realizadas reformas e melhorias de diversas instituições de Antonina, selecionadas e vistoriadas pela Associação de Defesa do Meio Ambiente e do Desenvolvimento de Antonina (ADEMADAN), entre elas unidades de saúde, associações de moradores e escolas municipais.

 
 

“Com o Porto Cidadão, pretendemos recuperar a autoestima dos cidadãos de Antonina, que nos últimos anos sofreram muito com ações da natureza, como as enchentes e deslizamentos que atingiram a cidade em 2011. Conseguimos levantar as principais necessidades de instituições de Antonina, e agora teremos o prazer de contribuir para diversas melhorias. Além disso, queremos promover uma aproximação, ainda maior, entre o porto e a população da cidade, mostrando que é possível convivermos em sintonia. Temos certeza que o projeto marcará uma nova fase de Antonina”, explica o diretor comercial do TPPF, Cicero Simião.

Entre as melhorias estão, por exemplo, a reforma da cozinha industrial do Patronato Idoso de Antonina; a construção de salas de aula de informática para crianças na Associação dos Moradores do Jardim Maria Luiz e Itapema; a reforma do telhado da Escola Brasilio Machado; a reconstrução da caixa d’água da Associação de Microssistema e Abastecimento de Água do Cachoeira (SAARA); e a readequação das unidades de saúde Cedro, Bairro Alto, Central e Rio do Nunes, que se encontram em estado precário. Profissionais de diversas especialidades trabalharão no projeto com a meta de proporcionar beneficios para mais de 3 mil pessoas.

“Todas as instituições que serão beneficiadas durante a primeira fase do Porto Cidadão foram avaliadas por um equipe da ADEMADAN, que listou as necessidades urgentes de cada uma delas. Além da liberação das melhorias, as reformas serão monitoradas por nós, tudo para que a população saiba que o dinheiro está sendo muito bem empregado em prol da comunidade. Esse será só o primeiro passo de um projeto que nos trará muitas alegrias”, completa Simião.

Porto Cidadão e projetos sociais

Além das reformas e restaurações, vários programas serão contemplados pelo Porto Cidadão, entre eles o “Alfabetização Tecnológica” para crianças e jovens, no intuito de ensiná-los a montar e fazer a manutenção de computadores, operar softwares na área de comunicação e criar jogos como ferramenta de educação ambiental para o planejamento urbano em áreas de riscos. O objetivo é prevenir desastres, como os deslizamentos que ocorreram no município no ano de 2011. Além disso, o TPPF é responsável pela contratação do projeto de ciclovia que integra os municípios de Antonina e Morretes até a BR 277, visando contribuir com a modalidade urbana e atracação turística e esportiva para o litoral do Paraná.

Lista completa de entidades atendidas: Unidade Básica de saúde do Cedro; Unidade Básica de Saúde do Rio do Nunes; Unidade Básica de Saúde Central; Unidade Básica de Saúde do Bairro Alto; SAARA – Associação de Microssistema e Abastecimento de Água do Cachoeira; Associação dos moradores do Rio do Nunes; Associação dos moradores da Penha II; Escola Brasílio Machado; Associação de moradores dos Bairros do Itapema e Pinheirinho; Associação de Moradores da Ponta da Pita; Associação dos Moradores do Jardim Maria Luiza e Itapema I; Patronato do Idoso de Antonina; ABEPIBA – Associação Beneficente Educacional da Primeira Igreja Batista de Antonina; e ACAPRA – Comunidade de Catadores, Coleta, Processamento e Armazenamento de lixo reciclável.

Fonte: Ademadan

 

COMENTÁRIOS

Assine nossa newsletter