Fragmentos de um discurso: “ A política do Bem: Ela existe? ”

por Redação | Jornal Portuário

22/06/2016

Artigo: Barbara Soares

Imprimir
Até um par de anos atrás a palavra política me parecia duas coisas: ou uma disciplina muito burguesa e interessante que eu cursaria na PUC ou então um tema muito sujo o qual eu me julgava altamente limpa para entender ou participar.
 
Acontece que, hoje, com ‘de repente 30’ me vejo aprendendo que política, bom, política é socializar e, socializar muitas vezes é olhar para o lado, olhar para o outro, não em tom de comparação - mas, em tom de elogio, em tom de compaixão e misericórdia.
 
Política é, entender a defensiva do suposto adversário, é verificar o porquê de sua resistência de seu medo e ataque. Quando pratico a política do bem eu incluo o outro, eu olho para o outro através de mim, por meio de mim e, não precisa ser proferido: o ‘muito obrigado’ vem automático, a onda de gratidão chega rapidinho.
 
Assim, criei um verbo: ‘politicar’ é, penso eu que é a tal da empatia, às vezes olhar menos nosso problema e, olhar o problema do outro nos faz um pouco melhores, um pouco menos sós.
 
Não é preciso reprogramação mental, não é preciso PNL ou coisa do tipo, basta olhar ao lado, sorrir, concordar ou procurar algo em comum com o sujeito – está feita a política, do Bem.
Boas pedidas a nós, cidadãos do mundo!
 
 
por: Profa Bárbara Soares | Casa da Tradução - www.casadatraducao.com.br
 

COMENTÁRIOS

Assine nossa newsletter