Comitiva portuguesa de economia do mar em visita à Islândia

por Redação | Iris Sant'Anna

13/10/2017

No quadro do EEA Grants, o Ministério do mar, através da DGPM, promoveu uma visita de empresas e entidades portuguesas à Islândia, parceiro do programa, orientado para realização de parcerias

Imprimir
EEA Grants
 

Termina hoje uma deslocação de três dias de um grupo de empresas e entidades nacionais relacionadas com a economia do mar à Islândia, promovida pelo Ministério do Mar, no âmbito das relações bilaterais do programa EEA Grants, que financia os transportes e a estadia da delegação.

A organização da visita esteve a cargo da Direcção-Geral de Política do Mar (DGPM), operador do EEA Grants, e do parceiro islandês do programa EEA Grants 2014-2021, o Iceland Centre for Research (RANNÍS). Segundo apurámos junto do Ministério do Mar, estavam “previstos contactos com empresas e centros de investigação islandeses, nas áreas da biotecnologia marinha e do processamento de pescado, com vista ao estabelecimento de parcerias bilaterais e preparação de projectos conjuntos”.

A comitiva portuguesa incluiu representantes de empresas, centros de investigação e da administração pública: DGPM, Unidade Nacional de Gestão dos EEA Grants, 3B’s Biomaterials, Biodegradables and Biomedicals, A4F – AlgaFuel, SA, Associação Nacional dos Industriais de Conservas, ATLANTIK FISH, LDA., Biosalt, BITCLIQ, Bluebio Alliance, BLUEMATER, CCMAR Centro de Ciências do Mar (Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina), Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) da Universidade do Porto, MADEBIOTECH, MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, NatureXtracts, Plataforma Tecnológica do Mar da Universidade de Aveiro, Sea4US – Biotecnologia e Recursos Marinhos, Lda., SEAEXPERT AZORES e Sparos.

O EEA Grants é o Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu e envolve todos os membros da União Europeia e três países da Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA, na sigla em inglês) – Noruega, Islândia e Liechtenstein – que partilham o mesmo Mercado Interno (mercado único criado em 1993 onde é garantida a livre circulação de bens, serviços, capitais e pessoas e no qual os cidadãos podem viver, trabalhar, estudar ou fazer negócios livremente).

Através do EEA Grants 2014-2021, a Noruega, a Islândia e o Liechtenstein, na qualidade de Estados Doadores, financiam, em 15 Estados Membros da União Europeia, iniciativas e projectos em diversas áreas programáticas, visando reduzir as disparidades económicas e sociais, reforçar as relações bilaterais entre os Estados Doadores e os Estados Beneficiários (onde se inclui Portugal).

Conforme se refere no site do EEA Grants, “para o período 2014-2021, foi acordada uma contribuição total de 2,8 mil milhões de euros para 15 Estados beneficiários”, incluindo uma verba de 102,7 milhões de euros destinada a Portugal. O EEA Grants deste período “será o quinto instrumento de apoio financeiro a vigorar em Portugal, sucedendo ao anterior mecanismo 2009-2014” e apoiará “cinco programas nas áreas do Mar, Ambiente, Conciliação/Igualdade de Género, Cultura e Sociedade Civil”, refere-se no mesmo site.

 

Fonte: Jornal da Economia do Mar

 

COMENTÁRIOS

Assine nossa newsletter